AAUTAD realiza ação de protesto contra falta de alojamento

16 Setembro 2019

A Associação Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (AAUTAD) vai realizar na quinta-feira, dia 19, uma ação de protesto na Praça do Município de Vila Real, contra a falta de alojamento para os estudantes da academia transmontana.

Assim, de forma atrair atenções para este “grave e inconcebível problema”, serão colocados 600 tecidos e almofadas a representar as camas que não atravessaram a Serra do Marão.

Apesar do governo ter anunciado um aumento de 600 camas, numa análise cuidada aos números verifica-se que o “aumento” se localiza, na sua esmagadora maioria, no Porto e em Lisboa. Nas universidades do interior, onde se verifica um número significativo de alunos deslocados, o aumento de camas foi zero ou abaixo de dez.

José Pinheiro, presidente da direção da AAUTAD, verifica que em Vila Real onde se localiza a academia transmontana, o aumento foi "nulo”, não havendo nem mais uma única cama disponibilizada pelo estado.

De sublinhar que cerca de 72 por cento dos alunos da UTAD são deslocados, e destes, 45 por cento dependem da ajuda da ação social para o alojamento.

Os números apresentados pelo estado, em relação ao Plano Nacional de Alojamento, são enganadores, uma vez que, efetivamente, não houve aumento nenhum no número de camas na maioria das universidades do interior”, esclareceu o dirigente académico.

No caso da UTAD, a situação torna-se “desesperante” para os alunos, dado que houve um aumento no número de entradas na primeira fase de acesso ao ensino superior, tendo ficado colocados 1339 alunos.

A ação de protesto da AAUTAD contra a falta de alojamento, vai concentrar os alunos na Praça do Município, a partir das 15 horas, estando previsto um encontro com a comunicação social, às 18 horas, junto à câmara municipal.

 

Este website usa cookies para melhorar a experiência do utilizador. Ao continuar a utilizar o website, assumimos que concorda com o uso de cookies. Aceito Ler Mais