XVII “Duplas” Open AAUTAD

21 Setembro 2016

Hugo Sousa e Amadeu Fernandes selam triunfo para a academia transmontana

O ténis define-se como uma modalidade de oposição, onde os jogadores impulsionam a bola para o outro lado do court utilizando, para isso, uma raquete. O principal objectivo do jogo é fazer com que os intervenientes joguem e consigam cumprir uma tarefa elementar! Passar a bola por cima da rede, jogando-a para um parceiro ou contra um adversário. Simples? Talvez não! Alguns, os mais irónicos, alegam que a história do jogo, tal como praticado nos nossos dias, poderia ser bem diferente se, em 1874, o major britânico Walter Wingfield, artífice do ténis moderno, tivesse “esquecido” a… rede! “Só complica”, dizem! Além da rede, e no caso deste “Duplas” Open, a dificuldade dos jogadores foi a dobrar! A competição, promovida pela Secção de Ténis da AAUTAD, distingue-se por ser um evento exclusivamente de pares, variante muito apreciada entre os tenistas da “Bila”. E, tal como na edição transacta, o evento teve a particularidade de ser aberto a toda a academia transmontana e comunidade vila-realense. Deste modo, a modalidade é um desporto inclusivo, pois, no mesmo encontro de pares, podem-se confrontar quatro jogadores de idades e níveis técnicos bem diferenciados. Foi o que se passou nos velhinhos courts da UTAD. Muita animação e jogadas de belo efeito surgiram nos diferentes encontros disputados em registo quase “non-stop”. Num encontro de pares, o principal objectivo estratégico do ténis é “atacar a rede”, posição ofensiva a partir da qual é possível dominar as diferentes acções. Assim, foi possível assistir à popular estratégica australiana (dois jogadores nas imediações da rede) ou ainda à pressionante chip and charge (resposta ao serviço e imediata subida à rede). Neste registo, e já com muitos jogos nas pernas, duas equipas da AAUTAD lograram disputar o encontro decisivo. Frente-a-frente, Guilherme Saraiva / José “Gasquet” Almeida vs Hugo Sousa / Amadeu Fernandes. Encetada a final, e para surpresa de alguns incautos, o par Saraiva / Almeida, com pancadas incisivas e golpes certeiros, cedo tomou a dianteira do primeiro set e liderou por 3/0 e ainda 4/1. Depois… o experiente tandem Sousa / Fernandes revelou-se mais activo e menos perdulário. Recuperaram lances que pareciam perdidos e souberam oportunamente reagir até à decisão favorável de um tie-break (7-3). Munidos do primeiro parcial, o veterano par Sousa / Fernandes arrancou a uma velocidade generosa no segundo set. Ambos os tenistas actuaram com entrega e intensidade, anulando as armas dos seus opositores, cuja resistência foi esmorecendo. Já quase sob um céu crepuscular de luz-fusco, isto é, do latim “luz que foge”, o segundo parcelar foi fixado num expedito 6/0, favorável ao tenaz Hugo Sousa e ao experiente técnico dos tenistas da AAUTAD, Amadeu Fernandes, que assim conseguiram almejar o título desta 17.ª edição. Extenuante, sem dúvida, este “Duplas” Open! Porém, tenísticamente recompensador! Mas faz sentido! Por maior que seja a glória, se não for útil é estultícia! Com uma generosa atribuição de mochilas PRINCE e HEAD aos atletas presentes na final, esta jornada desportiva encerrou com a cerimónia de entrega dos troféus - gentileza da Câmara Municipal de Vila Real - e a habitual foto da “praxe” para a posteridade!

 

AF

Post Scriptum:
Este texto foi escrito com manifesta inobservância do Acordo Ortográfico.