MANUTENÇÃO DO VALOR DA PROPINA APROPRIADO APENAS COM GARANTIA DE SUPORTE AO FUNDO DE APOIO SOCIAL

17:16:00 14-10-2015 AAUTAD Politica Educativa

Descrição

A Associação Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro já comentou a manutenção do valor da propina anual, na academia transmontana, no montante de 1019 euros anuais, que foi fixada na última reunião do Conselho Geral da UTAD.

A AAUTAD sempre defendeu a diminuição do valor da propina, por motivos como a dificuldade financeira da maioria dos estudantes da academia, assim como também para servir de incentivo à candidatura de mais alunos, no entanto, a manutenção da propina nos 1019 euros é considerada fundamentada, tendo em conta a necessidade de alimentar o Fundo de Apoio Social (FAS), que foi criado há dois anos e que subsiste com o montante de vinte euros por cada propina anual.

A AAUTAD acompanhou desde cedo o processo que levou à deliberação do valor da propina, não apenas com a reitoria como também com os representantes dos estudantes no Conselho Geral.

“A AAUTAD defendeu que, se possível, a propina deveria ser reduzida, no entanto, essa redução iria condicionar o valor que neste momento está estipulado para o FAS. Entendeu a Associação Académica que esse valor não deveria ser comprometido e, no futuro, se possível, deveria ser reforçado”, explicou André Coelho, presidente da direção da AAUTAD.

Para o dirigente associativo, “o FAS é uma bandeira desta universidade, e é um apoio fulcral aos estudantes com necessidades, sendo que só no último ano este apoio facultou sessenta bolsas de estudos a estudantes com carência económica, tendo permitido também que jovens estudantes trabalhassem ao abrigo desse mesmo fundo.

A AAUTAD acredita que esta subvenção é vital e não poderá, de maneira alguma, ser reduzida, daí que torne válida, apesar de não ser totalmente aprovada, a decisão do Conselho Geral em manter a propina nos 1019 euros, garantindo assim a manutenção do fundo com os valores atuais.

Recorde-se que a propina sofreu um aumento, no ano letivo de 2012/2013, de 999 euros para 1019 euros, mas ficou decidido que a diferença seria toda transferida para o Fundo de Apoio Social que foi criado na mesma altura, mantendo-se assim esta definição inalterada por mais um ano letivo.

Entretanto, e após audição com a AAUTAD, o Conselho Geral deliberou a alteração da data de eleição dos três representantes dos estudantes naquele conselho, antecipando a data para 21 de maio, penúltimo dia de aulas.

Esta alteração foi sugerida pela AAUTAD, uma vez que, segundo André Coelho, irá permitir um “maior envolvimento dos estudantes na eleição dos seus representantes no órgão de decisão máxima da UTAD.


Tags:

Partilhar


Outras Notícias

Parcerias

  • GoUpBuzZ
    Utad
    C.M. Vila Real